Super Blog

Meu Negócio

06Nov
Gestão da Qualidade — Necessidade ou Diferencial?

categorias: Meu Negócio,Indústria,

Há certo tempo, contar com uma gerência específica para a área de análise da qualidade não era uma realidade na maioria das empresas, independentemente do segmento. Entretanto, hoje, isso costuma ser cada vez mais comum.

Na indústria, a qualidade é um detalhe que abrange diversos aspectos, e precisa ser levado em conta, pois afeta diretamente os processos produtivos e, é claro, os resultados do chão de fábrica.

Origem da gestão da qualidade

A gestão da qualidade começou com a revolução industrial. Todo o trabalho manual, que antes era inspecionado de perto pelos próprios artesãos, começou a ser feito por máquinas e gerar uma alienação maior entre produtor, meios de produção e produto.

Isso seguiu durante certo tempo, principalmente em um modelo chamado de Taylorismo, que introduziu a produção em série no setor, com foco na indústria bélica.

Na Segunda Guerra Mundial as fábricas foram pressionadas pela qualidade do armamento produzido. Em 1931, então, um físico norte americano, Walter Shewart, começou a estudar a fundo as estatísticas envolvidas na questão da qualidade. Assim, foram desenvolvidos dois conceitos: o Controle Estatístico de Processos, CEP, e o ciclo PDCA — Plan, Do, Check e Act, traduzindo: Planejar, Fazer, Checar e Agir.

O Japão destacou-se rapidamente na área, que só passou a ter suas ideias aplicadas no Brasil em 1990, com as normas ISO 9000 e o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade.

Importância da gestão da qualidade na indústria

A indústria 4.0 trouxe diversas novidades para o setor, entre elas um potencial muito maior de automação que, consequentemente, deixa a produção mais rápida e mais rastreável estatisticamente. Por outro lado, essas novas concepções vieram unidas à visão mais cuidadosa dos consumidores a respeito dos produtos que utilizam.

Esse cenário faz com que seja necessário um monitoramento ainda mais minucioso da qualidade do que é produzido, e a automação industrial auxilia muito nesse ponto, pois permite a instalação de sensores que entregam dados precisos para fazer a gestão da qualidade da produção. Veja algumas razões pelas quais você precisa investir nisso:

Correção de problemas mais rápida

Com todo o maquinário de checagem da produção, como sensores e scanners, é possível rastrear um enorme número de itens individualmente, o que permite que o controle de qualidade deles seja mais rápido, eficiente e assertivo. A identificação de erros, então, fica muito mais pontual e ágil.

Antes disso, centenas ou milhares de unidades poderiam passar pela linha de produção com defeitos não detectados, mesmo com uma gestão da qualidade realmente eficaz.

Análise de dados mais precisa

Com sensores mais modernos, é possível fazer uma coleta de dados muito mais precisa e completa. Entretanto, sem uma área específica para gerir e fazer a análise dessas informações, de nada adianta tê-las, por mais que sejam cruciais para melhorias no chão de fábrica, desde economizar energia até detalhes a respeito do layout de produção.

Por isso é tão importante contar com uma gestão da qualidade atenta às tendências e de acordo com as mudanças no mercado. Assim há a chance de fazer as mudanças necessárias para deixar a produção ainda mais eficiente, com um olhar para o futuro.

Gostou de saber mais sobre gestão da qualidade? Confira outros detalhes a respeito da rotina no setor industrial aqui, no blog da Supergasbras!