Voltar à visão geral do blog

Negócio 08/10/2020

Como Gerir a Farmácia Hospitalar com Organização e Segurança

Como Gerir Farmácia Hospitalar
A gestão de uma farmácia hospitalar vai muito além dos medicamentos em si. Ela precisa levar em conta diversas questões administrativas, ampliação do número de pacientes, preços de assistência à saúde, entre outros. Por isso, fazer esse gerenciamento com qualidade e eficiência pode ser complexo, e precisa de atenção aos mínimos detalhes. Quer entender melhor? Confira este artigo da Supergasbras!

Boas práticas para gestão de farmácia hospitalar

Uma farmácia hospitalar não opera exatamente como um comércio comum de medicamentos e primeiras necessidades. A ideia aqui é diferente, e envolve aspectos específicos de atendimento e organização. Veja algumas práticas que podem ajudar a ter mais eficiência nessa área da instituição:

Gerenciamento de estoque

Se comparada com uma farmácia comum, a hospitalar precisa lidar com uma variedade (e quantidade) muito maior de medicamentos. Diante disso, é necessário levar em conta alguns pontos, como o valor de custo dos produtos e até mesmo a frequência com que são solicitados pelos médicos.

É preciso ter um equilíbrio entre o excesso e a falta, para manter o saving sem afetar o cuidado de nenhum paciente. O melhor é já ter registrada a quantidade de cada item que deve ser adquirida e mantida em estoque, bem como o custo de cada uma. Isso facilita, também, a gestão de compras e evita o desbalanceamento do estoque.

Além disso, há legislação específica para o tempo de armazenamento e disponibilidade de certos medicamentos, que deve ser sempre considerada!

Uso racional de medicamentos (URM)

O uso racional de medicamentos na farmácia hospitalar está diretamente ligado à dispensação dos produtos. Esta, quando feita erroneamente, pode causar problemas tanto financeiros quanto à própria saúde dos pacientes.

Um medicamento é utilizado de maneira racional quando corresponde justamente à necessidade clínica à qual é destinado, gerando resultados positivos com o menor custo possível e alta eficiência. Pode-se considerar usos irracionais: prescrições equivocadas, distribuição indevida de medicamentos pela farmácia hospitalar ou venda irregular dos produtos.

Gestão com auxílio de tecnologias

A melhor maneira de ter mais eficiência e organização na farmácia hospitalar é utilizar sistemas de gestão. Essa tecnologia é abrangente e pode auxiliar em todos os detalhes do setor, incluindo estoque, compras, gerenciamento de dispensação e até mesmo questões relacionadas ao controle do faturamento

Com isso, tudo ficará registrado dentro do sistema, facilitando coleta de dados e evitando equívocos que podem afetar diretamente a integridade da instituição.

Quer saber mais sobre esse assunto? Confira o blog da Supergasbras!